Seguidores

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

LIVRO DE POESIA

Pois é! Escrever poesia é uma grande responsabilidade! Aliás, escrever é sempre uma grande responsabilidade. Digo escrever profissionalmente. E principalmente para esse leitor tão singular que é o leitor criança!

Acho mesmo que só temos o direito de colocar no mercado, livros que vão servir para ampliar a percepção de mundo das pessoas. Não estou querendo dizer com isso que os escritores são profetas, que tenham que ter uma funçaõ messiânica, nada disso! Estou falando de qualidade literária. Essa questão sempre me preocupa como escritor. E mais: estou querendo dizer que só tenho o direito de invadir o território do outro se o meu trabalho realmente tiver sendo feito em nome da arte e não em nome de promover as vaidades pessoais!

Será que vão me chamar de pretencioso?


Meu livro mais novo chama-se O CHEIRO DA LEMBRANÇA e nele reuni 36 pequenos poemas sobre aromas, cheiros, perfumes...


Aromas comuns da nossa infância vêm à tona, evocados pelo passado, fazendo ressurgir lembranças. São pequenos poemas, para celebrar o almoço na casa da avó, o algodão doce no parque, o óleo que o avô usava nos cabelos, as sessões de curativos depois dos acidentes nas brincadeiras de rua, os doces de goiaba preparados nos tachos, as tardes mornas balançando-se nas redes do tempo. Enfim, o trabalho da memória traz perfumes especiais aos 36 poemas do livro.

SISTO, Celso. O cheiro da lembrança. Ilustrações de João Lin. São Paulo, Prumo 2009. 40p.




Nenhum comentário: