Seguidores

terça-feira, 25 de maio de 2010

SEMANA INTERNACIONAL DEL CUENTO



Minha gente!


A partir do próximo sábado, dia 29 de maio de 2010 estarei realizando uma série de trabalhos na Semana Internacional do Conto, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Serão oficinas, palestras, mesas-redondas e sessões de contos para todo tipo de público.


Contar histórias em espanhol é sempre um desafio!


Ainda bem que estarei sempre acompanhado de meus grandes amigos ERNESTO RODRÍGUEZ ABAD (ISLAS CANÁRIAS) e LILIANA CINETTO(ARGENTINA).


Espero trazer de lá, muitos livros de literatura infantil e juvenil boliviana, para compartilhar com meus alunos no Brasil. Afinal, cada vez mais, nós que somos pesquisadores da área, temos obrigação de acompanhar a produção dos países vizinhos! Que autor ou livro boliviano você conhece?
Aí vai também toda a programação do evento. Grande evento!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

TUTORIAL NO II CILLIJ


Pois é! Foi uma delícia!

Coube-me ministrar um Tutorial, nome pomposo, para designar uma oficina, no II Congresso Internacional de Leitura e Literatura Infantil e Juvenil, realizado na PUCRS, em Porto Alegre, nos dias 12 a 14 de maio.

Na verdade dei 2 oficinas, com o título A NARRAÇÃO ORAL E SUAS DOBRAS: TEXTOS E PERFORMANCES. Sustentado pelo tripé TEXTO, CORPO, VOZ, fizemos vários exercícios, partindo de uma história individual, para chegar à uma história coletiva. Para coroar os exercícios, cada grupo preparou uma história para contar. Trabalhei com modalidades textuais diferentes: letra de música, poema, livro de imagem e um conto, propriamente dito. O resultado foi muito bom, nos dois grupos.

Havia uma grande delegação de alunas do curso de Pedagogia, da Universidade Federal de Santa Catarina. A participação delas foi muito boa! Adorei!

Também adorei conhecer Keu e Luciene, vindas da Bahia! E do Rio Grande, Éderson. Todos muito bons contadores de histórias!

O melhor de tudo é que depois de um trabalho desses, a gente fica cheio de gás! Agora, vou pra Bolívia, fazer uma série de trabalhos por lá, na Feira do Livro de Santa Cruz de la Sierra! Aguardem!

domingo, 9 de maio de 2010

25ª FEIRA DO LIVRO DE BENTO GONÇALVES

Todo escritor aprende muito quando conversa com o público, isso deveria parecer óbvio! Não sei se todo escritor sente uma forte emoção quando encontra-se com seus leitores. Eu sinto! Enormemente! É uma sensação de recompensa, de satisfação por ser útil, por ter contribuído para povoar o imaginário daquelas pessoas, de forma intensa, vibrante, envolvente. Volto desses encontros sempre com muita vontande de produzir, de fazer cada vez melhor o meu trabalho, cheio de idéias, mas também com um "vazio". Talvez um vazio criativo, um vazio de quem doou-se até a medula!Os encontros com o leitor são relações de troca, muita troca!

Nesta 25ª Feira do Livro de Bento Gonçalves, cuja palavra de ordem era "DEIXE-SE ENVOLVER", ministrei uma oficina "A arte de contar histórias" para os auxiliares de bibliotecas e mediadores de leitura, pela SMED. Participaram 35 professores. E foi muito divertido!





Professores do grupo da SMED


Professoras do "famoso" grupo da VANI

Quem resiste à alegria das crianças, cheias de vontade de perguntar, de tocar em você, de prolongar aquela emoção encontrada no livro? Estive, durante a Feira de Bento, em três escolas, pelo projeto "A FEIRA VAI À ESCOLA". As três escolas eram na zona rural. Adoro! Há um envolvimento muito maior nesses lugares. Pais, mães, comunidade, funcionários das escolas, que muitas vezes são pequenas, multi-seriadas, etc. É inesquecível um dia como esses!



Alunos da EEEF ÂNGELO CHIAMOLERA

Alunos, pais e professores da EEEF SÃO PEDRO


Livros para o ar! Em geral, os meus livros mais trabalhados nos últimos tempos têm sido "EMBURRADO" (editora Paulus) e "O VESTIDO" (Zit Editora).

Quando vamos em feiras de livros é que realmente ficamos sabendo de uma série de coisas, em relação à distribuição de nossos livros! Eu, que tenho 43 livros publicados, se tiver visto 7 títulos meus na Feira de Bento, foi muito. O que será que falta, interesse das livrarias e dos distribuidores? Na escola SÃO PEDRO aconteceu um fato inédito: todos os alunos tinham um livro meu para que eu autografasse! Maravilha, mas isso é coisa rara!

Outro fenômeno ligado a esses projetos de ida do escritor às escolas. Como são projetos Municipais, e provavelmente as Escolas recebam uma verba para compra de livros, devia-se estipular o número de exemplares de livros do autor que a escola deveria adquirir... Já vi escolas que compram um ou dois títulos e exemplares do autor. Os outros, elas pegam emprestado na Biblioteca Pública ou em outras escolas. E a verba dos livros? É gasta como?


Outra coisa pra se denunciar: professores, desconfiem de algumas distribuidoras. Às vezes quando as distribuidoras dizem que os livros de FULANO DE TAL estão esgotados, nem sempre é verdade. Vai ver que a compra que se queria fazer era pequena ou a editora não é distribuída por aquele distribuidor, ou o livro não é tão fácil de ser conseguido! A questão, quase sempre passa pelo "comércio". Se vai valer a pena, a venda, eles correm atrás!!!!

E nós, escritores, ficamos à mercê dessas questões, que muitas vezes impedem um livro de circular pelo país.

Na feira de Bento tive sempre muitas surpresas agradáveis, carinhosas, estimulantes. Quero aproveitar para agradecer a minha amiga MARIA FERNANDA BACCA (será que escrevi o nome certo?) pelo belo trabalho que fez com o meu livro "O ENCANTADOR DE SERPENTES", da Editora Dimensão e ilustrações de Nélson Cruz. O tapete que ela criou para contar a história, junto com os bonecos (o menino e as duas cobras) são maravilhosos. Depois de muito usá-los, agora ela me deu de presente. Presente inesquecível, presente que certamente engrandece a história que criei. Agora sou eu quem vai utilizá-lo! E que compromisso corresponder à beleza da obra de arte da Fernanda! Obrigado Bento Gonçalves!


Tapete para contar a história do livro O ENCANTADOR DE SERPETES