Seguidores

segunda-feira, 28 de junho de 2010

LIVROS PREMIADOS PELA FUNDAÇÃO NACIONAL DO LIVRO INFANTIL E JUVENIL 2010

O texto abaixo é da LIVRARIA DA FOLHA. Reproduzo-o aqui, porque a lista da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil é bem completa e tem um grande peso para os pesquisadores e estudiosos do país. Claro, como todo prêmio, podemos questioná-la, mas tem lá sua importância... E vale como referência, material de consulta, retrato de um certo cânone até!

Conheça os livros infanto-juvenis vencedores do Prêmio FNLIJ 2010
da Livraria da Folha


Desde 1975, a FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) premia anualmente os melhores livros infantis e juvenis editados no Brasil. Braço brasileiro da IBBY (International Board on Book for Young People) - instituição sem fins lucrativos que promove a literatura para jovens e crianças em mais de 70 países -, a FNLIJ agracia neste ano 22 obras, todas produzidas em 2009.
Os prêmios, considerados muito importantes por artistas e editoras, são distribuídos em 18 categorias, entre elas uma dedicada apenas para livros de imagens e outra para livros-briquedo.

Conheça a seguir os vencedores:

- Criança
"O Lobo", de Gaziela Bozano Hetzel. Ilustrações de Elisabeth Teixeira. Editora Manaty.
- Imagem
"Onda", de Suzy Lee. Editora Cosac Naify.
- Jovem
"A Espada e o Novelo", de Dionísio Jacob. Edições SM.
- Jovem
"Uma Ilha Chamada Livro: Contos Mínimos sobre Ler, Escrever e Contar", de Heloísa Seixas. Editora Record.
- Informativo
"Kafka e a Marca do Corvo: Romance Biográfico Sobre a Vida e o Tempo de Franz Kafka", de Jeanette Rozsas. Geração Editorial.
- Jovem Hors-Concours
"Com Certeza Tenho Amor", de Marina Colasanti. Editora Global.
- Jovem Hors-Concours
"Marginal à Esquerda", de Ângela-Lago. Editora RHJ.
- Jovem Hors-Concours
"Querida", de Lygia Bojunga. Editora Casa Lygia Bojunga.
- Jovem Hors-Concours
"Tempo de Voo", de Bartolomeu Campos de Queiróz. Ilustrações de Alfonso Ruano. Edições SM.
- Literatura em Língua Portuguesa
"AvóDezanove e o Segredo do Soviético", de Ondjaki. Editora Companhia das Letras.
- Livro-Brinquedo
"Girafas não Sabem Dançar", de Giles de Andrade. Tradução de Eduardo Brandão. Editora Companhia das Letrinhas.
- Melhor Ilustração
"Carvoeirinhos, de Roger Mello. Editora Companhia das Letinhas.
- Melhor Projeto Editorial
"Av. Paulista", de Carla Caffé. Editora Cosac Naify e Edições SESC SP.
- Poesia
"Bichos", de Ronaldo Simões Coelho. Ilustrações de Angela-Lago. Editora Aletria.
- Reconto
"Da Vinci das Crianças: Histórias de Leonardo da Vinci", de José Arrabal. Paulinas Editora.
- Teatro
"Os Meus Balões" o Incrível Encontro de Júlio Verne com Santos Dumont, de Karen Acioly. Editora Rocco.
- Teórico
"O Professor e a Literatura: para Pequenos, Médios e Grandes", de Ligia Cademartori. Editora Autêntica.
- Tradução/Adaptação Criança
"Alice no País das Maravilhas", de Lewis Carroll. Tradução de Nicolau Sevcenko. Ilustrações de Luiz Zerbini. Editora Cosac Naify.
- Tradução/Adaptação Informativo
"Homens da África", de Ahmadiu Kouronuma. Tradução de Roberta Bami. Edições SM.
- Tradução/Adaptação Jovem
"O Arminho Dorme", de Xosé A. Neira Cruz. Tradução de Nilma Lacerda. Edições SM.- Tradução/Adaptação Reconto
"Meus Contos Africanos", seleção de Nelson Mandela. Tradução Luciana Garcia. Editora Martins Martins Fontes.
- Prêmio Especial Tradução Criança
"Onde Vivem os Monstros", Maurice Sendak. Tradução Heloisa Jahn. Editora Cosac Naify.

terça-feira, 8 de junho de 2010

FESTIVAL DE HISTÓRIAS FIO DA PALAVRA 2010


Amanhã, dia 9 de junho de 2010 estaremos encerrando oficialmente o FIO DA PALAVRA, curso de capacitação de contadores de histórias do CELIN (Centro de Referência para o Desenvolvimento da Linguagem), da PUCRS. O curso é ministrado por mim e coordenado pela professora Maria Tereza Amodeo. São 16 encontros, ao longo dos quais trabalhamos uma série de coisas ligadas à arte de contar histórias, desde a contação coletiva à contação individual. No curso são exercitados o corpo, a voz, a contação de histórias na primeira pessoa, na terceira pessoa, a contação interativa, etc. Cada ano temos mais inscrições e mais procura para esse curso.

Estou extremamente feliz que a Universidade possa ser um lugar também interessado na formação de contadores de histórias. Sobretudo, no curso de Letras, que deveria ser o primeiro a preocupar-se com a formação de futuros professores preparados para atuarem, de modo eficaz e prazeroso, na formação do leitor.