Seguidores

sábado, 22 de setembro de 2012

DA SÉRIE "ALGUMA COISA ACONTECE..." - 36



(Texto Celso Sisto; ilustração John Bauer)

36. Para o coração da poesia, simplicidade. Para o chão da poesia, pés descalços. Para o banho da poesia, olhos receptores. Para a vida na poesia, indulgência. A arte de extrair das palavras o seu teor aurífero e pacificante, a sua beleza enredante, o seu gigantismo aliciante não tem nada a ver com a arrogância dos desfolhadores das letras, com seus bisturis de aço, acostumados às autopsias deformadoras. No fim, fica o poema sangrando, a céu aberto, retrato da vaidade. E perdido, para sempre, o desejo de pertencimento, o múltiplo sentido, a grande simbiose.
22.09.2012

Nenhum comentário: