Seguidores

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

POEMAS DA SÉRIE "QUANDO SOU OUTRA COISA" - XXV.


XXV.

protegida debaixo do chapéu
a cabeça branquinha

e agora eu era o herói
cingido cavaleiro das sete cores
e que haveria de proteger Teolinda
a dama das palavras ensolaradas

não temos castelos,
ornamentos ou borlas

temos a imaginação pontuda
e a lembrança da neve
alvíssima semeada
em nossos cabelos

não tivemos
cavalariços reais,
selas de ouro,
faqueiros de prata,
tronos de seda,
espelhos venezianos
saias com armação
ou sapatos de tacão

não temos senão esse
antigo chapéu de feltro
onde o tempo rotundo
depositou nossas histórias

pra que mais?

ainda hoje
diariamente
repartimos o pão!

celso sisto
25 de janeiro de 2016

(Da série "Quando sou outra coisa")


Nenhum comentário: