Seguidores

domingo, 21 de fevereiro de 2016

POEMAS DA SÉRIE "QUANDO SOU OUTRA COISA" - LXIX


LXIX.

palavras são oferendas
flores verbais
ontem hoje
elo dos tempos

palavras-rosas
palavras-jasmins
flor-do-cedro

mimetizar cheiros
conjugar forças
completar vidas

viçosas, caem na corrente sanguínea
buliçosas, aumentam a capacidade pulmonar
nefandas, comprometem o fígado

eu  jardineiro de palavras
vigio trabalho rogo
planto jardins circulares

no entanto
as que não têm
nada a dizer
explodem no ar
se esfumam
mantêm à distância
os não-sujeitos
da  minha história

flores verbais que se sabem murchas
nem prensadas dentro do livro:

pétala guardada
quer perpetuar
a importância da flor:

palavras são oferendas
flores transverbais
dardos do meu amor...

celso sisto
21 de fevereiro de 2016
(Da Série “Quando sou outra coisa”)




Nenhum comentário: